Como é calculada a nota do Enem? Dicas do Z

04 set 2020

Saber como funciona a nota do Enem é o primeiro passo para se dar bem na prova e conquistar aquela vaga desejada! Somente o Inep (órgão responsável pela aplicação da prova) consegue fazer exatamente esse cálculo que vamos exemplificar aqui, mas nós podemos te ajudar a entender melhor como funciona. Imaginamos que você já saiba mas, ao todo, quem faz o Enem recebe cinco notas, ou seja, uma para cada área de conhecimento: Ciências da Natureza, Ciências Humanas, Linguagens, Matemática e Redação. São 45 questões de cada área e uma produção textual na Redação.

No caso das quatro primeiras áreas, a metodologia de correção usada é a da TRI (Teoria de Resposta ao Item), um método que busca verificar o conhecimento do candidato e evitar chutes. Ela não leva em conta o número de acertos na prova, mas sim uma escala-padrão de conhecimento, com três parâmetros sendo avaliados:

• o de discriminação, capaz de diferenciar os participantes que dominam e os que não dominam a habilidade cobrada em determinada questão.

• o de dificuldade, que avalia a complexidade da questão – quanto maior seu valor, mais difícil é o item e vice-versa – e é expresso na mesma escala da proficiência.

• o de acerto casual, que corresponde à probabilidade de um participante acertar a questão sem dominar a habilidade exigida; é o famoso “chute”. A ideia é avaliar o padrão de respostas.

Dessa forma, as questões são divididas em “fáceis”, “médias” e "difíceis” e estão distribuídas aleatoriamente na prova. Como o sistema evita o chute, caso você acerte uma questão difícil e erra uma questão fácil, a TRI indica que houve uma alta probabilidade de o acerto ter sido por acaso e a sua nota acaba ficando mais baixa.

Na nota final, calculada por computador, o Enem considera a consistência das respostas. Dois alunos que acertam a mesma quantidade de questões podem não ter a mesma pontuação. Lá no próprio site do ENEM, podemos ver um exemplo que mostra dois alunos que acertaram 5 questões, mas que obtiveram 480 pontos e 310 pontos respectivamente. O que acertou as cinco mais fáceis terá uma nota maior, pois seu desempenho é coerente. O outro, que errou questões fáceis e acertou outras difíceis, terá a sua nota reduzida pelo cálculo da casualidade, ou seja, como sua proficiência foi pequena (cinco questões em 45), a TRI entenderá o acerto nas questões difíceis como “chute” e reduzirá o valor do item certo.

Por isso, focar nas questões fáceis e fazê-las bem feitas é uma dica crucial para quem quer se dar bem. Isso significa que fazer a prova com coerência haverá um aumento significativo na sua nota. Adote essa estratégia para a prova, aprendendo a identificar as questões que você percebe como mais fáceis!

Conseguiu sanar as dúvidas? Se ainda quiser mais informações sobre a TRI e a nota do Enem, acesse o Portal do MEC: http://portal.mec.gov.br/component/content/article?id=84461:entenda-como-ecalculada-a-nota-do-enem Boa sorte, galerinha!

Fontes: Portal do MEC, Guia do Estudante e Quero Bolsa.

Comentários